Câmara Municipal de Imperatriz

Câmara Municipal de Imperatriz

Maranhense de 11 anos leva bronze no mundial de skate em Londres 

28 de maio de 2019


A maranhense Rayssa Leal, de apenas 11 anos, surpreendeu ao levar a medalha de bronze em sua primeira competição internacional, a etapa de Londres da Liga Mundial de skate street (SLS). Conhecida como
Pesquisar por:
A maranhense Rayssa Leal, de apenas 11 anos, surpreendeu ao levar a medalha de bronze em sua primeira competição internacional, a etapa de Londres da Liga Mundial de skate street (SLS). Conhecida como “Fadinha” e natural de Imperatriz no Maranhão, Rayssa chegou a liderar a final na manhã deste domingo (26), mas foi ultrapassada pela também brasileira Pâmela Rosa e pela australiana Hayley Wilson.

Além da medalha de ouro e de bronze, o Brasil ficou com o quarto lugar, com Letícia Buffoni. Pâmela garantiu o título por somar 26,3 pontos. Rayssa ficou em terceiro com 26.
Competindo com a camiseta da seleção brasileira de futebol, a maranhense chamou atenção no circuito pela idade e foi tietada por novos fãs. Na arquibancada, uma garota mais velha levou um cartaz com a frase “Gostaria de ser como a Rayssa quando eu crescer”, em inglês.

A liga não impõe limite etário para os atletas participarem do circuito, o que possibilita uma competição envolvendo adultos e crianças. Na pista, a jovem atleta liderou a final, foi ultrapassada e teve a chance de recuperar o primeiro posto, mas acabou caindo em sua última tentativa.
A etapa de Londres da Liga Mundial é considerada a abertura da corrida para os jogos olímpicos de Tóquio, nos quais o skate fará sua estreia como modalidade olímpica. O Brasil poderá ter até 12 atletas em 2020 – três na modalidade park feminino, três no park masculino, três no street feminino e três no street masculino.

e natural de Imperatriz no Maranhão, Rayssa chegou a liderar a final na manhã deste domingo (26), mas foi ultrapassada pela também brasileira Pâmela Rosa e pela australiana Hayley Wilson.

Além da medalha de ouro e de bronze, o Brasil ficou com o quarto lugar, com Letícia Buffoni. Pâmela garantiu o título por somar 26,3 pontos. Rayssa ficou em terceiro com 26.
Competindo com a camiseta da seleção brasileira de futebol, a maranhense chamou atenção no circuito pela idade e foi tietada por novos fãs. Na arquibancada, uma garota mais velha levou um cartaz com a frase “Gostaria de ser como a Rayssa quando eu crescer”, em inglês.

A liga não impõe limite etário para os atletas participarem do circuito, o que possibilita uma competição envolvendo adultos e crianças. Na pista, a jovem atleta liderou a final, foi ultrapassada e teve a chance de recuperar o primeiro posto, mas acabou caindo em sua última tentativa.
A etapa de Londres da Liga Mundial é considerada a abertura da corrida para os jogos olímpicos de Tóquio, nos quais o skate fará sua estreia como modalidade olímpica. O Brasil poderá ter até 12 atletas em 2020 – três na modalidade park feminino, três no park masculino, três no street feminino e três no street masculino.
Fonte: enquanto isso no Maranhão. 
Compartilhar esta notícia :
 
Produzido por Dicamax Tecnologia e Comunicação | Portfólio | Serviços
Copyright © 2014. Blog Asmoimp - Todos os Direitos Reservados
Entre em contato conosco para críticas e sugestões
Ficamos muito felizes com sua visita