IPVA + MOTO LEGAL

IPVA + MOTO LEGAL

ArFrio refrigeracoes

ArFrio refrigeracoes
Peças e Serviços. Soluções em Ar-Condicionado. (99) 98156-9313

Assis Ramos faz contas para ver se “sai do aluguel” do Socorrão

24 de agosto de 2017


O prefeito calcula que o município já gastou R$ 35 milhões num “investimento sem retorno"
Assis Ramos faz contas para ver  se “sai do aluguel” do Socorrão
 Assis Ramos: “Eu me sinto como aquele cidadão que mora de aluguel, pagando por uma coisa que não é sua, uma espécie de investimento sem retorno”
            “Sair do aluguel” - tem sido essa a linha de conversa do prefeito de Imperatriz, Assis Ramos, toda vez que o assunto é o Hospital Municipal, o “Socorrão", que está instalado ha quase 20 anos num prédio alugado, na Rua Benedito Leite, a um custo mensal de mais de R$ 82 mil reais. “Eu me sinto como aquele cidadão que mora de aluguel, pagando por uma coisa que não é sua, uma espécie de investimento sem retorno. Paga a vida inteira e não vai deixar de ser nunca, no sentido literal do termo, um ser sem teto” - sintetiza o chefe do executivo municipal.
            Assis Ramos aumentou essa sua convicção quando retornou de São Luís, na madrugada de quarta-feira, 23, depois de um encontro com o governador Flávio Dino, oportunidade em que garantiu um reforço de caixa para a Saúde de R$ 5 milhões de reais. “O governador entendeu nossa dificuldade e foi sensível ao apelo que fiz em nome do povo de Imperatriz. Aos R$ 5 milhões que ele nos deu, eu somo as economias que tenho feito aqui, com muito sacrifício, e passo a sentir poder e plena capacidade para passar de inquilino a proprietário. Aí, sim, passaremos a investir no que é nosso, sem essa de fazer benfeitorias na casa dos outros” - disse o prefeito.
            O prefeito já fez as contas e sabe que o município de Imperatriz, a um custo de R$ 82 mil mensais, já gastou, só em alugueis, algo em torno de R$ 19,6 milhões reais. “Se considerarmos as reformas, os puxadinhos, as pinturas e repinturas, os telhados, reforços e trocas de instalações elétricas e hidráulicas, mais uns R$ 15 milhões nessa conta de investimento sem volta. Com esses R$ 34 milhões, já teríamos comprado esse Socorrão mais de 3 vezes”- calcula.
            A ideia de Assis Ramos é chamar os donos do prédio para uma negociação. “Queremos comprar para, a partir daí, fazer uma grande e definitiva reforma, sabendo que estamos gastando no que é, de fato, do povo. Imperatriz já não pode continuar tendo seu hospital de emergência como um indigente, sem teto. Vamos pedir avaliação oficial da Caixa Econômica Federal para nos assegurarmos de que vamos pagar preço justo, honrando o discurso de que, conosco o dinheiro do povo vale muito mais”- garantiu.
Compartilhar esta notícia :
 
Produzido por Dicamax Tecnologia e Comunicação | Portfólio | Serviços
Copyright © 2014. Blog Asmoimp - Todos os Direitos Reservados
Entre em contato conosco para críticas e sugestões
Ficamos muito felizes com sua visita